Absurdamente didáticos, por Clara Castela

Janeiro 9
No comments yet

Quem não incluiu este tipo de presentes no sapatinho, ainda vai a tempo de os oferecer em qualquer aniversário, como prémio de uma tarefa ou ação bem conseguida ou simplesmente adquiri-los porque sim. Pode servir para uma tarde de brincadeira bem passada ou para um momento de grande criatividade em família. A sua manipulação tem um grande potencial de aprendizagem. Pode parecer absurdo mas…absurdamente didático.

Há os em diversas cores, formas, texturas ou materiais. Têm potencialidades de utilização, exploração e criação incríveis. Desafiam a criatividade e exercitam a mente. Têm ludicidade, musicalidade, intencionalidade e agitam a imaginação. São de baixo custo e encontram-se à venda nas grandes superfícies ou em qualquer loja oriental de esquina. A marca não é de todo importante para a originalidade destes materiais, que se podem tornar presentes. Eles valem por si e surpreenderão todas as crianças. Desconstroem a sua funcionalidade e as crianças tratam de lhes dar sempre um outra utilidade, que nós adultos, nunca teríamos pensado que poderiam servir para. Construções, empilhamentos, colagens, atividades matemáticas, jogos variados, esculturas ou instalações, fantoches…

Molas da roupa, botões, pedrinhas de aquário, argolas para cortinados, colheres de pau, talheres de plástico, clips, todo o tipo de fitas, fios, cordas, enfim, olhos bem abertos quando forem às compras!

Lembro-me, em pequena, passar largas horas de brincadeira em casa da minha avó. Uma caixa verde de forma cilíndrica transbordava molas da roupa de várias cores. Para a avó serviriam apenas para pendurar a roupa ou fechar qualquer saco de sal. Para mim, transportavam-me ao mundo encantado das composições e construções com molas, aos penteados modernos e arrojados para a época, ou serviriam ainda como objetos de moda e design, qual Joana Vasconcelos! A avó Esterinha desfilou algumas vezes no quarto com peças criadas por mim. Saias com molas penduradas na barra, lenços que prendiam com rosáceas de molas, qual pregadeira de luxo. As molas chegaram a servir de marcadores de guardanapos quando era eu a pôr a mesa. E nestes momentos de pura brincadeira e ocupação de tempo livre, tenho a certeza que eu e a avó fomos muito felizes e nos tornámos mais cúmplices.

Vou contar-vos um segredo…ainda hoje vibro com molas da roupa! Espero que gostem desta sugestão. Primeiro estranha-se e depois entranha-se e são objetos absurdamente didáticos.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *