Desembrulhar Sorrisos, por Clara Castela

Novembro 28
No comments yet

Começa a cheirar a Natal. As crianças já o saboreiam há muito. Sonham com ele o ano inteiro. As pedras da calçada refletem enfeites no ar e o frio acaba de chegar. Os abraços estão preparados e o nosso espirito também. Desembrulham-se as figuras do presépio e o musgo verdeja com as primeiras chuvas. Os presentes começam a ganhar forma e destino e as canções vão-se entoando para a festa da escola. E as crianças desembrulham sorrisos. O Natal tem esta magia. É colorido, vibrante, vivido. Traz-nos paz e serenidade e devolve-nos a humilde simplicidade dos mais pobres. Ficamos pequeninos na grandeza deste acontecimento. Aquecemos o coração à lareira, partilhamos iguarias da quadra e enfeitamos todos os cantos da casa. Começa a cheirar a Natal e as emoções teimam em sair de uma qualquer caixa guardada nas memórias do coração. Os anjos aquecem as vozes e as estrelas ensaiam pequenas danças no palco do céu. E as crianças desembrulham sorrisos. Lá pelo Polo Norte deve estar uma azáfama. Duendes multiplicam esforços para que tudo esteja pronto a horas. Por cada casa desempoeiram-se presépios e lustram-se almas. Cada figura tem o seu lugar. Onde sempre estiveram…em cada um de nós. O menino nunca baixa os braços, está sempre pronto para nos receber. E nós faremos o mesmo. Despimos preconceitos, organizamos sentimentos e abrimos portas para acolher aqueles que mais precisam. E as crianças  desembrulham sorrisos. A carta já foi enviada. Chegará antes da meia noite. E quando os relógios do mundo inteiro juntarem os ponteiros, os sinos tocam a rebate, o galo canta, a Missa acontece, as famílias celebram o amor e as crianças estarão a desembrulhar sorrisos. Saberemos então que É Natal! Saberemos então que…no silêncio da noite Jesus entra sem pedir licença, que o pai Natal espreita pela chaminé, que muitas pessoas ajudam outras muitas, que a noite fria se torna aconchegante e que o Menino Jesus renasce todos os Natais. Aleluia! Aleluia!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *