Como escolher a base certa, por Inês Pereira

Outubro 18
No comments yet

O rosto é uma zona de muita exposição, por isso é muito importante que seja protegida ao longo do ano e não só no Verão. Para a selecção de uma base ideal ao nosso rosto devemos ter em atenção o tipo de pele:
– Peles oleosas, deve usar preferencialmente uma base opaca, com acabamento matte, em pó ou liquida se for oil free;
– Se tiver pele seca, deve escolher uma base liquida, porque dará algum brilho ao rosto. É ideal também para peles mais maduras porque não vai acumular produto nas zonas mais rugosas;
– Para peles mistas utiliza-se qualquer tipo de base desde que não seja nem muito opaca nem para peles secas que dê excesso de brilho.

Dica: Se tiver muitas imperfeições tenha preferência por base compacta ou em stick, estas normalmente têm maior cobertura e servem quase como corrector.

Em caso de ter uma pele muito sensível deve ter algum cuidado na escolha e ter sempre atenção se a base é hipoalergénica.

Depois de avaliar o seu tipo de pele, a escolha da cor! Maior parte das vezes a grande complicação…

A base deve ser testada na zona do queixo/ maxilar ou então nas bochechas, e não como é habitual nas mãos.  Como sabem, o rosto normalmente não tem a mesma cor do resto do corpo, e por isso devemos criar uma harmonia na cor, tendo em conta o que fica mais próximo da cara, o pescoço e o peito.

Os tons das bases são classificados por:
-tons frios, se a pele for mais avermelhada, rosada ou se tiver reflexos azulados quando se tem as veias mais salientes. Estes devem ser usados em peles claras (designadas por bege, ivory)
-tons quentes, para peles mais amareladas/douradas e morenas (designadas de honey, sun , bronze);
-e uma tonalidade neutra, quando não há uma cor tão específica, e há combinação de cores quentes e frias. Nesse caso tem que experimentar um tom quente e outro frio para que veja qual a que fica mais harmoniosa no seu rosto.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *