O que todas as futuras mães deviam saber

Novembro 22
3 Comments

Olá, olá! O que todas as futuras mães deviam saber. Antes de sermos mães, principalmente quando ficamos grávidas, começamos a ouvir uma panóplia de avisos e conselhos de toda a parte. Alguns bons de ouvir, outros mais vale tapar os ouvidos. Mas existem algumas questões que ninguém nos avisa, ou pelo menos a mim ninguém me avisou. Por isso deixo aqui algumas sugestões de navegação para as futuras mães. Pois também gostava de ter tido conhecimento de toda a informação antes e não só depois…

  1. Nunca mais dormimos profundamente. Quando estava grávida e me queixava que tinha muito sono, ouvia repetidamente a frase “Aproveita agora para dormir”; sempre achei que se estariam a referir aos primeiros meses porque o bebé tem de comer de 3 em 3 horas, tem cólicas, etc, mas não! Isto é para sempre, porque depois desta idade, ainda acordam durante a noite porque têm pesadelos, porque têm sede, porque, porque, porque… e depois, mesmo quando já dormimos uma noite seguida, o nosso sono é sempre mais leve e ao mínimo “hã” nós acordamos…
  2. Sexo só mesmo com crianças a dar murros na porta do quarto e a chamar pelos pais ou então com hora marcada (quando eles já estão a dormir, numa data especial ou quando os “impingimos” para casa dos avós).
  3. Acabam-se as festas sem sofrimento. Claro que por sermos mães não devemos deixar de nos divertir, jantar com o marido, sair com as amigas. Todas temos esta teoria e devemos pô-la em prática para conseguirmos manter a nossa sanidade mental. O que ninguém se lembra de falar é do dia seguinte, que nos castiga como se tivéssemos cometido um crime grave! Ok, vamos jantar, saímos à noite, deitamo-nos às 4h da manhã (noite de loucura e ficamos em êxtase pois voltamo-nos a sentir como quando se tivessemos 18 anos) mas no dia seguinte de manhã o nosso “galito” acorda à mesma cedo, tem a mesma energia durante TODO o dia e exige a mesma actividade da sua  mãezinha como se nada tivesse acontecido. É nesse momento que nos arrependemos de termos sido independentes por uma noite!
  4. Se quisermos um chocolate ou umas bolachas só para nós temos os esconder ou então escondermo-nos a nós próprias enquanto os comemos, o que faz com que nos sintamos as pessoas mais egoístas do mundo!
  5. Não conseguimos agendar nada com muita antecedência. Sabem aquele fim-de-semana que queremos ir para fora ou aquele jantar que prometemos ir, pois é, nunca se sabe se vai realmente acontecer ou se de repente um dos rebentos tem uma dor de barriga, um pico de febre… e lá vai a combinação por água abaixo.
  6. Começamos a fazer coisas nojentas com a maior naturalidade do mundo e sem pensar na porcaria que estamos a fazer. Quem foi a mãe que nunca cheirou ou pôs o dedo dentro da fralda da criança para ver se tinha cocó? Quem foi a mãe que nunca pôs a chucha do bebé na sua boca para a limpar depois de cair no chão?
  7. Que a partir do dia que somos mães, por muito tristes ou chateadas que estejamos, passou a existir uma pessoa no mundo capaz de nos fazer sempre sorrir e aquecer o nosso coração.

Pois é, antes de sermos mães temos uma série de teorias, que vamos ser assim e assado, que a nossa vida vai continuar na mesma… Sei do que falo, pois tinha as teorias todas e depois das minhas filhas nascerem, tudo mudou. Cabe-nos a nós conseguir gerir este dia-a-dia para nos conseguirmos manter mulheres, para além de mães.

O que sempre nos dizem antes de sermos mães e que é realmente verdade, é que os filhos são mesmo o melhor do mundo!

Beijinhos,

Mónica

NOTA – VEJA TAMBÉM:

O dia-a-dia de uma mulher moderna

A “profissão” de mãe

A Essência de ser mãe

Deviam existir regras para as visitas na maternidade

Cortes de cabelo para altas e baixas

  1. Em total acordo.. Gostei da leveza e brincadeira com que abordou o assunto!
    E de verdade, as crianças são mesmo o melhor do mundo!

    Continuação de bom trabalho,
    Beijinhos

    • Mónica

      Maio 2

      Obrigada Daniela.
      Beijinhos,
      Mónica

  2. Joana

    Novembro 3

    Tudo verdadinha 😀

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *