Qualquer coisa não serve! por Clara Castela

Janeiro 17
No comments yet

Para as crianças, qualquer coisa não serve! Não serve uma pergunta sem resposta, não serve um não determinado, não serve uma caneta sem tinta, não serve um livro riscado, não serve um sapato apertado, não serve um lobo mau bom, nem um gelado que não pinga.

Também não serve uma praia sem areia para levar nos bolsos, nem um museu sem paredes brancas para tocar, nem tão pouco, um jardim sem flores para apanhar.

Não serve um bolo com creme de chocolate, sem dedos para provar, nem um filme que não se possa comentar, nem cinema sem pipocas, nem um novelo por desenrolar, nem um campo onde não se possa correr, nem uma folha de papel que não se possa rasgar.

Não serve silêncio sem tosse, nem mãe sem toque, nem pai sem guerra de almofadas. Não serve uma avó que não faça tendas com lençóis, nem avôs que deixaram escapar a retórica ou a valiosa e ancestral citação “quando o avô era pequeno…”.

Para as crianças, qualquer coisa não serve!

Um galo que não canta na cabeça de uma criança, não serve.

Uma luz que teima em se apagar quando o sono ainda não se acendeu, não serve.

Uma sopa que não pode ser arrefecida com a colher, não serve.

Uma roupa nova que não se pode sujar, não serve.

Um vidro embaciado sem desenhos, não serve.

Uma tampa de panela que não toca, não serve, e tocar numa tampa de panela sem queimar também não!

O que serve para as crianças é tudo o que as faz sentir, é tudo o que as faz sorrir, é tudo o que lhes dá prazer, é tudo o que faz esticar o dia, o tempo, o sonho. O que serve às crianças, é a liberdade de poder tocar as nuvens, provar a terra, cheirar o ar, correr atrás do vento e guardar minhocas dentro de um frasco de vidro. E para que serve a tampa?…para lhes prolongar a vida.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *