ACABOU-SE A PAPA DOCE! DESTA VEZ É MESMO UM BASTA!

Maio 21
6 Comments

Olá, olá! ACABOU-SE A PAPA DOCE! DESTA VEZ É MESMO UM BASTA! Mas é que é mesmo!!

globos

O meu querido marido resolveu, já lá vai tempo demais, deixar de ter paciência para eventos sociais. Durante os primeiros meses, confesso que até gostei de ficar mais caseira, e passei até a apreciar o levantar-me sempre cedo mesmo quando não é preciso (acreditem isto é realmente verdade). A desculpa do homem cá de casa, até tem alguma lógica. Como trabalha na área da comunicação e faz alguns eventos, argumenta que já lhe basta ir aos relativos á sua profissão. Mas os dias foram passando, as festas acontecendo e dei por mim a ir exclusivamente aos acontecimentos onde o moço trabalha. Resumindo, ir a eventos com o meu marido é coisa do passado. Mesmo os que tenho ido, ele acaba sempre por estar de olho em mil e uma coisas, menos onde devia…em mim.

Esta semana parecia que tudo ia ser diferente. O convite dos Globos chegou-me a casa e, ao de leve, propus-lhe um double date at Globos de Ouro 2014. Eu sabia que era um desafio grande, pois até um smoking teria de vestir…e de repente, sem que ninguém desconfiasse (eu própria estava quase sem esperança), ELE ACEITOU. Yupii! Vou-me pôr toda bonita e em breve estarei no meio de pessoas. UAU! PESSOAS! Essa espécie, com quem convivo muito pouco socialmente, para além do habitual circulo fechado. YEAHH!  Não sei se alguma vez sentiram isto. Mas a mim, faz-me falta ir a estas coisas. Andamos nós a trabalhar o bronze e a fazer exercício físico desmedido, para depois nos ficarmos pelas visitas ao parque infantil e à esplanada do costume… nem pensar! Já nem lhe peço uma discoteca, mas um evento de vez em quando…é um mínimo, não acham?

Fiz bem, pensei eu. Fiz muito bem em tê-lo convidado. Vai ser giro. Ele ao principio pode até achar seca mas vamos estar os dois, e é isso que interessa!

Faltavam apenas três dias e começaram as primeiras indirectas. “Já viste a trabalheira que isto vai dar?”; “O smoking está com um cheiro estranho e a camisa está exageradamente vincada, se calhar já nem tem solução…” (ia ele  dizendo pela casa, entre suspiros, manuseando as peças do smoking que foi buscar à arrecadação). No dia seguinte, outro momento de “indirectas”: “Ando tão cansado, este fim de semana preciso de me deitar cedo para recuperar…”; “Para quê tantos telefonemas por causa de um vestido? Achei que tinhas isso mais que escolhido. Esqueci-me de levar o smoking para Lisboa, se calhar é melhor levares tu à limpeza a seco”. Respondi que sim, sem problema algum, claro que levaria o chato do smoking à lavandaria. Eu estava numa de soluções, e ele mais numa de problemas… Dois dias antes da gala, entrego-lhe o smoking pronto e impecável. Perguntei se o queria experimentar e respondeu-me com um sorriso, “não te preocupes, depois experimento”. Nessa mesma noite, as “indirectas” passaram a directas. “Mónica, eu sei que te apetece imenso ir, mas não preferias ir passar o dia a Porto Côvo e depois comer um peixinho na volta?”. Lancei-lhe um daqueles meus olhares, e nem foi preciso responder. Minutos depois (nem se deu ao trabalho de fazer grande pausa, para que me acalmasse, eu no fundo já me tinha percebido de tudo…), “Mónica, eu não era capaz de te pedir uma coisa destas”, diz-me ele com um ar sério (parecia que tínhamos uma filha grávida e a culpa era minha). “Como assim?”, perguntei eu, e terminei dizendo: “Eu não te pedi nada”. E ele, com a enorme lata que tem, argumenta: “eu sei que não pediste, convidaste, e eu até fiquei contente e pensei no bom que seria irmos os dois sair. Entretanto, quero convidar-te para irmos jantar e sair, mas não aos Globos. Esta semana foi mesmo cansativa e ter de me andar a passear de smoking no meio de não sei quantos holofotes, será um verdadeiro sacrifício para mim. O que estou a dizer é que não te pediria para fazer qualquer sacrifício deste género… podemos ir sair os dois, claro, já tenho imensas saudades, mas para um sitio diferente (mais calmo, queria ele dizer), pode ser?”.

Não vos vou contar a simpática discussão que daqui surgiu, já muito contei eu 😉 Mas faço-vos uma promessa, se por acaso esta pessoa que comigo casou, decidir, seja porque razão for, não me levar a jantar e a dançar no próximo fim de semana, A BARRACA VAI ABANAR! E muita sorte vai ter ele, de eu não o obrigar a sair de smoking!

Não se faz isto a uma senhora! Escolhi vestido, cabelos, etc, etc, e depois dá nisto! Nunca mais na vida, é o que vos digo. Peço mil desculpas à revista CARAS pela minha ausência. (a culpa foi dele!)

Beijinhos a todas,

Até já

Mónica

  1. tb gostava de ir aos globos e levaria o meu namorado nem que fosse pelos cabelos 🙂 A MULHER É QUE MANDA 🙂

  2. Fez muito bem. Os ultimatos por vezes são a ultima coisa que funciona. Não dê hipótese, vão mesmo dançar e divertir-se, vocês merecem!

  3. Boa noite minha senhora, o seu marido que a perdoe se conseguir. É preciso ser-se muito paciente para aturar uma coisa dessas. Repare que só as solteiras ou as mal casadas é que comparecem a essas festas. Deixe-se estar e seja amiga do seu marido.

  4. Uma sugestao: Nao o deixe ver o jogo do Real Madrid com o Atletico!!! Hehehe!!! Invente um programa nessa hora…

  5. Dantes qualquer pessoa podia comparecer á gala dos globos de ouro…bastava aparecer e nem era preciso fatiota 🙂

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *