Carta Aberta ao meu Querido Marido

Março 3
21 Comments

Olá, olá,

Hoje resolvi escrever uma carta aberta ao meu querido marido. Claro que é mais brincadeira que outra coisa, de outro modo nunca a publicaria aqui no blogue. Mas não deixa de ser uma gigante indirecta, bem directa, dirigida ao meu mais que tudo e a muitos outros maridos que por um acaso venham a visitar o A Mulher é que Manda. Tenho a sorte de ter um marido que raramente ressona. Mas quando o faz, deixa mazelas profundas em qualquer tímpano mais próximo. Desta vez o problema já se arrasta há alguns dias e acredito que com esta brincadeira talvez possa meter um basta nesta situação e em futuras outras fases igualmente estridentes.

mulher chateada Carta Aberta ao meu Querido Marido

Se por acaso tem um marido ou namorado que ressone, experimente ler-lhe esta carta  ou envie-lhe uma parecida (não tem de ser uma carta aberta). Acredito que os resultados serão positivos. E se não forem, pelo menos tentámos…

Carta Aberta ao meu Querido Marido:

Querido Maridão,

No dia em que nos casámos, senti uma enorme certeza dentro de mim. Senti que te amaria para o resto da minha vida e que faria tudo para te ver feliz ao meu lado, até ao fim dos meus dias. Depois desse momento, já passaram largos anos e o nosso amor tem saído reforçado, ao atravessar as piores das dificuldades a que temos vindo a ser alvo, ao mesmo tempo que nos vamos ajudando a crescer, a construir uma família e a sermos pessoas melhores. Durante estes treze anos de casamento, os bons momentos continuam a ser superiores aos episódios mais complicados e isso dá-me esperança e renova o meu amor por ti, de dia para dia.

No entanto, meu querido marido, há duas semanas atrás ficaste constipado. Eu pedi-te vezes sem conta que fosses a uma farmácia comprar um xarope, ou algo do género, que te ajudasse a ficar melhor, lembras-te? Cheguei mesmo a visitar a farmácia, trazendo para perto de ti várias soluções, ditas milagrosas, aconselhadas pela médica farmacêutica que me recebeu. Lembras-te meu amor?

Já lá vão quase quinze dias e como ainda não tomaste qualquer remédio, continuas igual. Sem febre mas completamente entupido. E por tudo isto, pelo meu amor por ti, por ter jurado que te acompanhava na doença para o resto da minha vida, te escrevo hoje esta carta.

Vamos lá ver se nos entendemos. Eu quando casei contigo não foi para fazeres de mim louca, pois não? Eu sei que já passámos por uma enorme travessia cheia de adversidades mas Bolas, ninguém aguenta ter de ouvir tamanho ressonar. É mesmo impossível passar mais uma noite sem dormir, e é igualmente impossível conseguir descansar ao lado de uma motos serra de alta cilindrada. Desejas-me assim tanto mal? Porque é que não tomas a porcaria do xarope? Eu disse que te acompanhava na doença, mas assim não conta se fores tu a alimentá-la. Ou te tratas, ou vais ter de ir dormir para bem longe. Não aguento nem mais uma noite. E se achas que desta vez o nosso amor vai voltar a sair reforçado, estás muito enganado!

É que se tivesses a hombridade de não estar sempre a apregoar que estás doente, talvez eu até me conseguisse abstrair do facto, de seres tu que não te queres tratar. Eu quando tenho dores ou complicações de saúde, não ando pela casa a queixar-me. Aliás, o mais provável é nem dares por isso. Quando és tu, passas meio dia com febre e queres fazer-nos parecer que o teu mundo vai desabar.

Eu gosto muito de ti, mas neste caso trata-se de uma questão de sobrevivência. Imagina estares deitado a tentar dormir quando de repente, sem aviso prévio, alguém te enfia repetidamente alfinetes pelo ouvido a dentro, ao mesmo tempo que a cama e as paredes do quarto desatam a tremer ao ritmo de uma aparelhagem estereofónica, a emitir o som do motor de um tractor, misturado com o da matança de um porco. Consegues imaginar este cenário?

Mesmo que a tua imaginação não chegue tão longe, peço-te apenas que confies em mim. Acredita nas palavras de quem te amou durante tantos anos. Este é o momento de viragem na tua vida. Ou tomas, de uma vez por todas, os remédios e começas a ficar melhor, ou… vais ter de arranjar um bom hotel para os teus concertos nocturnos.

Nota – Relembro-te novamente que tomares o xarope não significa, como é teu hábito, meteres meio frasco, de uma só vez, pela goela abaixo. Tens imperativamente de seguir as indicações escritas no papel que te dei.

Adoro-te do fundo do coração mas não sou surda, e para poder continuar a ser mãe, tua mulher, profissional, dona de casa, blogger, etc, etc, vais ter mesmo de parar de ressonar. E se me queres bonita, lê o que escrevi sobre o “sono da beleza” AQUI. Não há outra hipótese.

Vou continuar a amar-te sempre, perto ou longe.

Muito beijinhos da tua querida e cansada apaixonada,

Mónica

P.S. – Vai tomar o xarope! AGORA!

(LEIAM TAMBÉM “TODOS OS HOMENS DEVERIAM LER ESTE TEXTO“)

  1. Mas quem está mal, muda-se. Não sei porque deve ser o seu marido a mudar-se. Que lógica tem isso?!!

    • Andrea

      Março 4

      Na medida em que ele não se quer tratar… e outras coisas afins que homens casados são incapazes de tratar sozinhos, salvo raras excepcçoes.

  2. Parabéns Mónica, é assim mesmo!

  3. Se eu escrevesse uma carta destas ao meu marido eu acho que ele me punha as malas à porta. O casamento é para sempre e temos de respeitar os problemas de saúde e dar assistencia sempre que necessário. Já se lembrou de dar a Mónica o xarope ao seu marido? Não acredito que se lhe der a colher à boca que o senhor rejeite. Ás vezes temos de ser um bocadinho mãe deles, faz parte Mónica. Tenha paciencia…

    • Patricia

      Março 3

      Ser esposa não é ser mãe..muito menos de um homem adulto… Que confusão de papéis..

    • Muito bem sr Sara Monteiro, a mulher tem por super capacidade ser benevolente,dócil e compreensível estas são as suas capacidades! Dou-lhe os meus parabéns por saber ser o que Deus lhe confiou.Não quero dizer com isto que se submeta a ser uma escrava? Mas simplesmente a ser mulher.

  4. Lol, já me ri para o dia todo. boa carta Mónica 😉

  5. Gostei da ideia mas é melhor não imitar. Acho que o meu homem não ia achar graça…

  6. Marta Uva

    Março 3

    Espero que não lhe aconteça o mesmo Mónica. Ressonar é um problema dificil de resolver e se lhe acontecer também vai querer a compreensão do seu marido.

    • Andrea

      Março 4

      há tratamentos!!!!! Qualquer das maneiras pelo que percebi o ressonar em questão prende-se com a gripe… que por algum motivo desconhecido (lol) não é tratada 😛

  7. ADOREI!

  8. Muito bem Mónica, já me fez sorrir. Obrigado!

  9. Apoiado! Amor é…ressonar baixinho 😉

  10. CARLOS

    Março 3

    PARABENS MONICA MULHER DE GUERRA , UMA MEIA NA BOCA DO ARTISTA RESOLVE O PROBLEMA

  11. carminho

    Março 3

    Fartei-me de rir, pondo a imaginaçao a funcionar com os tractores, matanças de porcos, etc. mas constato que algumas pessoas levaram o artigo muito a sério…
    O nariz tapado nao vai com xarope. Experimente “VAPOSPRAY”. Tenho um espécimen desses ca em casa e nao é preciso estar doente!!! Prepare-se, pois com a idade vai piorando!!!

  12. Andrea

    Março 4

    Compreendo-a perfeitamente!!! Bolas…. são terriveis 😛 Mas por causa das brincadeiras agora quando estou doente , de 5 em 5 minutos digo que estou a morrer ahahhahahahaaha

  13. Ola minha querida corajosa,acho bem e lindo que tentes salvar o teu casamento raro hoje em dia.
    Mas creio que fizeste mais que a tua parte, não tens que ser mãe dele, já ,és mãe dos teus filhos…..
    Portanto quem ama cuida, vá cuidar te ti mulher valente! Muitos parabéns pela coragem….. Beijinhos. Maria Dias

  14. LP

    Outubro 24

    ora, m/cara esposa, atura-me o ressonar que eu também te aturo os pontapés constantes na cama. Aliás, não consigo deixar de ficar surpreendido com a quantidade de km que fazes durante a noite e nunca de tal reclamei. Por outro lado, conforme bem sabes, à fases do mês em que, m/querida esposa, comportas-te como um animal raivoso, respondes torto a tudo, aliás, há muito que aprendi que não devo sequer dizer amo-te, porquanto em tais períodos terei como resposta” cala-te, não me chateies”, o que, caso não saibas, é por demais irritante e mesmo assim, não deixei de te amar.

    • Mags

      Outubro 26

      Quem escreve o que quer, lê o que não quer 🙂
      Boa LP!

  15. Muito interessante seu comentário querida senhora, visto seus actos comentaria-dos e ao mesmo tempo supostos de grandeza super adquirida, chega-se a conclusão do proverbio popular (quando a fartura é muita! até a cevada pica na barriga do burro) seja simplesmente humana e tente compreender que não há ninguém imaculado, o que acontece ao seu esposo será possivel que um dia seja também o seu estado!! e depois!!! virou-se o feitiço contra o feiticeiro! saiba ser prudente compreensiva e cumpridora da sua promessa,nunca faça aos outros o que não gostaria que lhe fizessem a si.
    Desejo-lhe uma boa meditação, para salvaguarda do seu mundo familiar!! o que nos dias de hoje se está a tornar escasso,

  16. lina

    Maio 29

    dormeri em camas separadas e a melhor coisas falo com esperiencia propria

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *