Educar às vezes dói!

Janeiro 16
5 Comments

Olá, olá! Educar às vezes dói! Hoje estou com o coração apertadinho, ontem acabei a noite a ouvir que era má e hoje tive de começar o dia a dar um raspanete à minha filha mais velha.

Na escola das minhas princesas, volta e meia têm exposições de editoras a vender livros e ontem vinham as duas para casa com um papel para fazer encomendas à editora, com uma selecção de livros de leitura, uma pela módica quantia de 30€ e outra de 20€. Para começar acho isto o cúmulo, venderem livros na escola, não são livros obrigatórios e como é óbvio as crianças são sempre o alvo mais fácil para impingirmos alguma coisa. Disse-lhes logo que nem pensar, têm prateleiras e prateleiras de livros em casa, adequados à idade delas, ainda por ler e que não ia gastar mais 50€ em livros, só porque sim. Até a argumentação de que na Fnac eram mais caros eu ouvi (vinham com a missa bem estudada), mas quando disse definitivamente que NÃO, claro que ouvi que sou má, que não me preocupo com elas e não podem contar comigo!

Hoje começamos de novo… A minha filha mais velha está a entrar naquela idade que acha que pode responder o que quer e a quem quer, como se tivesse a mesma idade que os pais, tios ou avós, tenta “gozar” comigo quando estou a ralhar e faz aqueles ares de quem não tem pachorra para ouvir sermões… por vezes roçando muito de perto a falta de educação. Já a avisei várias vezes que aquele comportamento não estava certo, que era uma falta de educação e de respeito pelos mais velhos, mas parece que os meus discursos não têm funcionado. Hoje tive mesmo de ser mais ríspida, dei-lhe um grande raspanete e avisei-a que era a última vez que seria a conversar, a próxima era resolvida com castigo. Ela ficou com ar triste e eu com o coração apertado a apetecer-me abraçá-la e dizer que já passou, mas não pude, pois educar é isto, apesar de doer como tudo! Só espero é que tenha realmente funcionado, para ao menos eu sentir, que apesar de doer, valeu a pena.

_DSC3866

A profissão de mãe é realmente muito difícil, preferia que fosse só a parte dos miminhos e da brincadeira, que custa menos e sabe bem melhor, mas não é muito mais do que isso 🙁

Beijinhos,

Mónica

  1. Sónia

    Janeiro 15

    Cá em casa sofro do mesmo mal 🙁

  2. Ana

    Janeiro 15

    Dou-lhe os meus parabéns.
    Não sou mãe ms infelizmente vejo muitas crianças sem educação nem valores. Imagino que tenha doído bastante, mas um dia vai-se orgulhar quando vir a bela adulta que se tornou. 🙂

  3. Brown Eyes

    Janeiro 16

    Como eu entendo. A minha filha está com 4 anos e meio e a atravessar uma fase particularmente difícil.
    Sempre que a corrijo e se porventura não lhe agrada, vira costas a chorar e a vociferar que não gosto dela – vou atrás dela, obrigo-a a ouvir o que tenho para lhe dizer até ao fim, e que não volte a virar as costas enquanto falo com ela – extensível aos avós, educadora, enfim, pessoas mais velhas. Na rua todas as pessoas elogiam a forma como se comporta, mas confesso que tenho dias complicados para fazer com que ela seja de facto o espelho da educação que tem em casa.

  4. ML

    Janeiro 18

    Ai o que me espera. Já vi que cada fase é um desafio. neste momento atravessamos a fase das primeiras birras… dos 2 anos. E têm sido várias as vezes que fico com o coração pequenino.

  5. Ana Lopes

    Janeiro 19

    Bom dia,

    Às vezes também tenho papelinhos idênticos cá em casa… felizmente a minha filha, que já tem 10 anos, não vai muito nessas “modas”, desde cedo que tentei mostrar-lhe o “valor do dinheiro” e quando há ofertas desse género que eu veja que não vale o dinheiro, faço-lhe ver e ela desde muito que entende.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *