Filhos doentes, devia ser proibido

Fevereiro 6
1 Comment

Olá, olá! Filhos doentes, devia ser proibido. Desde quinta-feira que tenho a minha piolha mais pequenina doente. Quando a fui buscar à escola começou a queixar-se que lhe doía o corpo, tinha dores de cabeça, de garganta e ouvidos e que se sentia mole. Comecei logo a desconfiar que vinha aí virose. O que é que eu previ na semana passada quando estive doente e elas não saiam de cima de mim. Lembram-se?

A virose veio e com força, ao conjunto de dores, juntou-se a febre, vomitados e diarreias. Foi um fim-de-semana espetacular! Desde não dormir, a ter de mudar camas a meio da noite, houve de tudo. Foi um verdadeiro festival… Hoje ainda estamos por casa, numa de recuperar a 100% pois a princesa ainda não se sente totalmente bem. Confesso que já não posso ver as paredes de casa, sou uma pessoa que precisa de rua, de ar e sentir-me fechada é um desespero. No fim-de-semana ainda aproveitei as idas ao supermercado ou para comprar pão, para tomar um cafezinho e dar uma voltinha com a piolha mais velha. Mas sempre num lusco-fusco porque criança doente quer sempre o colinho da mãe.

Claro que estou aqui a queixar-me de barriga cheia, é apenas uma virose e amanhã já passou. Não é nenhuma doença grave e aí sim teria motivos sérios para me queixar.

Mas não há nada que doa mais no coração de uma mãe do que ver um filho sofrer, nem que seja por um pico de febre. Se for preciso não dormimos, não comemos, não nos mexemos para que consigam repousar, mas enquanto não os vemos novamente bem, o nosso coração não fica descansado.

Espero que amanhã tudo volte ao normal. Depois é só aguentar uma semaninha de trabalho, aulas… sem o recarregar de energia do fim-de-semana.

Beijinhos,
Mónica

  1. Carla

    Fevereiro 7

    Completamente verdade… queixamo-nos que não param quietos, que desarrumam tudo, sempre a mexer… mas quando ficam doentes…. o meu coração fica pequenino, o ar não entra, poder ser “só” uma virose, mas enquanto eles não ficam bem, eu não estou bem!!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *