As mães e o trauma dos tupperwares

Janeiro 19
2 Comments

Olá, olá! As mães e o trauma dos tupperwares… O drama!

Hoje vou escrever sobre mães, mas neste caso as nossas mães e o trauma que têm com os tupperwares. A minha mãe tem este trauma bem forte, mas já percebi que não é a única, pois todas as minhas amigas se queixam do mesmo.

Alguém me consegue explicar qual é o stress de uma mãe em emprestar um tupperware?! Sempre que vou a casa da minha mãe e quero trazer algum “resto” de comida a minha mãe diz-me quais são os recipientes que posso trazer, porque há uns que nem pensar, que já sabe que nunca mais os vai ver. Pronto, pronto, até percebo a resposta. Mas quando emprestam um vestido, uns sapatos, e tudo o que não seja um tupperware já não há stress nenhum. Que fenómeno é este que não consigo entender?!

E quando lá voltamos a seguir, quase nem nos perguntam como estamos! A primeira coisa que querem saber é se levámos o tão querido tupperware. Claro que a resposta habitual é não, mas porque raio me havia de lembrar que tinha de trazer os tupperwares? Podem ter a certeza que se fosse alguma coisa importante não me esquecia, mas se calhar sou eu que tenho um problema com os ditos e não consigo tirá-los do armário da cozinha. Fica logo furiosa e diz “Já sabia!”. Mas então se já sabia, porque pergunta?

Se calhar é falta das festas de tupperwares que se faziam antigamente e em que lhes era transmitida a grande importância deste recipiente, o grande causador de mau estar entre mães e filhas de várias famílias. De facto, não entendo mesmo o fenómeno, mas deixo aqui a promessa à minha mãe: na próxima vez que for lá a casa, levo-lhe uma mala de viagem com todos os tupperwares que não me pertencem! 😉

De qualquer forma, queridas mães, são só tupperwares!

Beijinhos,

Mónica

  1. Uma Mãe

    Janeiro 20

    Bem, eu só posso falar por mim.
    Talvez tenha razão, Mónica, mas a nossa geração é muito apegada às coisas (não só aos tupperwares); ensinaram-nos a fazê-las render, a estimá-las e, por isso afeiçoamo-nos.
    Assim, quando partem para casa dos nossos filhos, é com uma certa angústia que as vemos sair de casa para, talvez, nunca mais voltar. E temos quase, quase, a certeza que não voltam. E, que não vão ser apreciados e amados por mais ninguém como o foram por nós.

    Além disso, há tupperwares que são exactamente da cor que escolhemos para a cozinha ou do tamanho que cabe naquele cantinho do armário e que encaixa no outro que tem o tamanho seguinte.

    Sabe que eu ainda tenho as panelas, lindas, castanhas por fora, brancas por dentro que me deram quando casei, escolhidas por mim, lista de casamento da Sopal? Um dia, deixo-as para as minhas netas.

    Mas, voltando aos tupperwares, eu tenho uma solução para as mães ansiosas: façam como eu, tenham sempre em casa embalagens descartáveis.
    Eu, nunca mais entrei em crise.
    (LOL)

  2. Eheh, isto é um assunto muito sério!! Aqui em casa passa-se o mesmo! A minha mãe está sempre o perguntar se não tenho cá um qualquer tupperware! Já eu não sou nada apegada a isso, até me esqueço!!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *