Mãos frias, coração quente! por Clara Castela

Janeiro 25
No comments yet

Ahoj, ahoj! Este é o habitual cumprimento da Mónica, mas em checo. Não considero plágio porque está noutra língua, eheheh!

Pois, acabadinha de chegar de Praga, na República Checa, e ainda com os ossos a tremer de frio, é precisamente do frio que vos vou falar. As temperaturas estiveram sempre negativas nos dias que lá estivemos. Nós, os tuguinhas, estamos muito mal habituados, e ainda bem! O sol e as temperaturas amenas pagam-se e nós devíamos cobrar umas taxas aos turistas pelos raios de sol que eles vêm cá apanhar, sempre arrecadávamos uns euritos que tanto precisamos.  A verdade é que congelei. No entanto, o entusiasmo de conhecer a cidade fez-me ir esquecendo as baixas temperaturas que se fizeram sentir. Embora de roupa quentinha na bagagem, nada era suficiente para aquecer. A escala dos menos graus baixou ao 10 e houve momentos em que não senti as mãos. Mas o coração sim! A beleza da cidade fez subir o termómetro e lá me consegui aguentar.

Posto este preâmbulo, conto-vos que, com um olhar já mecanizado, cruzei-me muitas vezes com os olhos das crianças checas, literalmente com os olhos delas, porque só se viam os olhitos. Pois, há vida para além do frio, e as crianças andam pela rua, passeiam e brincam bem quentinhas e aconchegadas. Entrei numa loja de brinquedos e lá estavam elas, deslumbradas e divertidas, e certamente não pensavam na temperatura exterior.

Nas creches e Jardins de Infância de países de arrepiar, os bebés fazem a sesta em varandas e pátios ao ar livre para que o corpo se adapte a temperaturas tão baixas. Nunca deixam de brincar lá fora porque está frio, nunca deixam de passear porque está a nevar. Preparam-se, equipam-se e a vida acontece.

Nós temos que começar a fazer o mesmo. Preparar as nossas crianças para o frio e para a chuva, combater as constipações, as alergias, as dermatites, as rinites, as laringites e as medrontites dos pais e dos pediatras com umas passeatas e umas correrias ao ar livre.

Façamos Brrrrrrrr mas sejamos felizes!

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *