MARMITA LIGHT

Novembro 25
1 Comment

Olá, olá!

O fast food está cada vez mais institucionalizado e apesar de parecer barato nem sempre o é. Por outro lado, a má nutrição resulta numa serie de problemas físicos e psíquicos.

Eu percebo que seja complicado encontrar tempo para garantir uma refeição completa e ao mesmo tempo light, na pequenina hora de almoço que dispomos.

A solução passa invariavelmente pela preparação de uma marmita em casa. Reduz-se os custos e aumenta-se a qualidade.

Hoje, Domingo, depois de meter as minhas filhas na cama, preparar as mochilas e a roupa do dia seguinte, escrever um post no blog e tratar dos convites para a festa de anos da minha filhota (faz amanhã 4 anos!), vou entregar-me aos cozinhados e preparar algumas marmitas para esta semana.

Amanhã será o primeiro dia em que eu e o meu marido aderiremos a esta mecânica. Pela conta do supermercado de hoje, já percebi que vamos poupar bom dinheiro!

Normalmente gasto 3,5€ a almoçar (tenho a sorte de haver uma cantina onde trabalho, só é pena as escolhas de menu não serem saudáveis nem ao meu gosto) e o Francisco gasta 5€, recorrendo a mini pratos onde abundam fritos e gorduras.

O nosso objectivo também pode ser o vosso! Experimentem tentar investir apenas uma média de 1,80€ por refeição (pelas minhas contas até podia ir ao 1,20€). No nosso caso, vamos poupar 107€ por mês (1284€/ano) e ainda vamos garantir todas as necessidades de uma refeição completa e saudável. Light em todos os sentidos! 🙂

Antes de ir às compras fiz uma pequena pesquisa no Google e encontrei no site “o meu bem estar” algumas regras a ter em conta:

Cinco dicas para preparar uma marmita light

1. A refeição fora de casa deve ser completa, equilibrada e colorida, ou seja, deve incluir carbonatos (arroz e massa integrais, batata), proteínas (ovo, carne, frango e peixe) e ainda leguminosas (feijões, grão, soja, ervilhas, favas).

2. Armazene correctamente os ingredientes. Como? Os alimentos que precisam de ser aquecidos devem ficar num recipiente diferente dos alimentos que podem ser consumidos frios. Por exemplo, evite juntar ingredientes grelhados com salada, para que as folhas não percam a sua frescura.

3. Se optar por levar uma sanduíche, é aconselhável separar alguns dos ingredientes que farão parte do recheio. Além disso, deve colocar o recheio no pão na hora da refeição.

4. Para os dias mais quentes, prepare a sua marmita com alimentos que não precisam de ser aquecidos na hora do consumo. Por exemplo, opte por uma salada com alface ou massa (fusilli ou penne, por exemplo) e inclua um ou vários dos seguintes ingredientes: atum, ovo cozido, peito de peru, queijo magro e tofu. Os grãos também devem entrar na lista: soja e grão-de-bico. Não se esqueça de abusar das verduras e dos legumes: tomate, alface, agrião, rúcula, pepino, cenoura ou beterraba.

5. Para beber, opte por bebidas menos calóricas, como sumos de fruta naturais ou light ou água. E porque o almoço no escritório também merece uma sobremesa, dê preferência à fruta, que é bem mais leve que um doce e ajuda a complementar as vitaminas e fibras da refeição.”

Se já é adepta da marmita, não deixe de levar em consideração estas premissas pois só assim usufruirá de refeições completas.

Outra coisa boa é o facto de passar a ter mais tempo de hora do almoço porque não esteve em filas ou à esperem que a servissem. Aproveite os minutos que sobram para passear, pois se almoça a marmita no escritório, é importante que exercite um pouco o corpo e visite outros ambientes.

São só ganhos com esta nova decisão! Agora é implementar com criatividade e disciplina.

Parece-vos bem?

Beijinhos,

Mónica

  1. Mafalda FS

    Novembro 25

    Parece-me lindamente! Excelente opção!!
    bjs

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *