Topless, sim ou não?

Agosto 3
4 Comments

Olá, olá! Topless, sim ou não? As minhas férias já estão quase a terminar e as saudades do trabalho ainda estão longe de surgir… o costume! Mas estou a adorar cada minuto, apesar dos dias parecerem sempre curtos para a quantidade de coisas que nos apetece fazer.

Quem tem seguido o meu Instagram percebeu que passei a primeira semana de férias em Tróia. Um autêntico paraíso na Terra. Onde natureza é uma constante, entre verdes e dunas salgadas, ao ponto de sermos invadidos por uma calmaria única. Tal qual eu precisava para começar o meu descanso. E foi lá, neste spot encantando, que surgiu o tema deste post. Topless, sim ou não?

Estava eu a dormitar, num simpática espreguiçadeira, por baixo de um palhinha, que nos defendia da hora mais forte do sol, quando reparo que a nadadora-salva-vidas se dirigia a uma senhora que estava a fazer topless, mesmo à nossa frente. Informava-a, com grande cortesia, sobre a proibição naquela praia do topless ou nudismo. A senhora levantou-se, algo corada, e perguntou se essa proibição era extensível aos homens. Argumentando que os homens também estavam todos a fazer topless. A responsável pela concessão na praia sorriu e declinou abanando a cabeça. E foi-se embora não lhe dando hipótese de continuar a conversa.

Depois, mantendo a mesma premissa, aproximou-se de duas senhoras, ambas a fazer topless, a quem explicou o mesmo. Naquela concessão de praia não é permitido fazer topless ou nudismo pois “é uma praia de família”.

Esta última parte da frase que vos reproduzi levou à revolta das duas amigas. Uma delas respondeu prontamente, de uma maneira que todos nós ouvimos, irritadissima, “mas eu sou uma pessoa de família! O que está a querer insinuar??!”

Acho que não havia ninguém que não estivesse a tentar ouvir com todas as forças, todos olhavam naquela direcção. A senhora que pertencia ao staff da concessão acabou por pedir desculpas pela frase dita mas manteve a postura relativa à obrigatoriedade. Acabou por voltar para junto dos seus colegas, assim que as duas senhoras puseram a parte de cima do biquini.

Nas palhinhas, em nosso redor, começaram no corte e costura. Pelo que percebi das coversas cruzadas que apanhei, cusca como sou, todos e todas tinham a mesma opinião. Não se pode fazer topless em frente a crianças ou adolescentes pois eles ficam confusos. What???? Não estava a querer acreditar na teoria que invadia os meus ouvidos. Segurei-me muito para não me dirigir àquelas pessoas estranhas. Não só por isto mas especialmente pelo tom utilizado. Da mesma maneira que nós tínhamos ouvido os dois pedidos para acabarem com o topless, de certeza que essas senhoras também estariam a ouvir alguns dos comentários que se teciam sobre elas ou sobre quem faz topless, com uma snobeira e arrogância desmedida. Ao ponto de acabarem por se ir embora com um ar nitidamente chateado.

Passo a explicar, aqui, aquilo em que acredito.

Topless, sim ou não?

1 – Não acho mal haver praias onde é proíbido nudismo  e/ ou topless. Desde que hajam praias onde tal é possível. Tem de haver espaços para cada perfil de pessoas, somos todas diferentes e o respeito por cada qual deve imperar. Também acho que devem haver praias onde quem faz e quem não faz topless possam conviver naturalmente.

2 –  Tem de haver sinalética realmente visivel. Imagino que estas senhoras não tivessem feito topless se tivessem lido alguma placa nesse sentido. Eu, apesar de não ter andado à procura, não vi nada que proíbisse tal acto. (nota – não quer dizer que não estivesse lá uma placa mas eu não a vi, tal como as outras 16 pessoas que passaram férias comigo.)

3 – As nossas maminhas não são nenhuma aberração que devam ser escondidas por ordem de terceiros. Devemos ter o bom senso de andarmos mais ou menos tapadas conforme o sitio onde estamos. De maneira a que nos possamos sentir bem ao mesmo tempo que evitamos constrangimentos desnecessários. Não se vai de maminhas á mostra para uma igreja, óbvio. Mas também acho óbvio que se possa fazer topless nas praias onde é permitido. E se radicalizarmos demais estas premissas, qualquer dia temos placas a dizer que é proíbido dar de mamar num jardim público.

Resumindo, aquele concessão de praia tinha todo o direito exigir o uso de fatos de banho ou biquinis da mesma maneira que os comentários que ouvi foram totalmente despropositados.

E vocês, o que acham?

Até já, beijinhos,

Mónica

  1. Lídia

    Agosto 4

    Só um pequeno reparo, veja como escreveu “proibição” ? quanto ao assunto em si, não havendo nada afixado em contrário, cada um é livre de fazer o que quiser ??

    • admin

      Agosto 4

      Obrigada Lídia. Ia agora mesmo alterar 🙂
      Beijinhos

  2. Dora

    Agosto 5

    Penso que como em tudo na vida é uma questão de bom senso, se não havia nada a proibir e as senhoras se sentiam à vontade de mamocas ao léu porque não apanharem uns raios de sol nas ditas cujas? A partir do momento em que foram avisadas que ali não seria o lugar para tal só teriam de acatar a indicação e taparem as maminhas, sem mais arrelias.
    Bom fim de semana!

  3. carina

    Agosto 8

    Eu acho uma hipocrisia !!! Nos dias de hoje haver proibição de topless ?? e tecerem se comentários de que as crianças ficam confusas ??? desde shows televisivos a capas de revistas – as que as mamãs lêem também ; nos telemóveis e tablets que a pequenada tem o que vêem (se calhar a maioria esquece se de ir ver o histórico do que os filhos vêem, ou nem sabem se eles já o sabem apagar!!! a maioria ficará surpreendido…) … e é um corpo onde se vê o peito da mulher que vai baralhar as crianças ???? as crianças ficam baralhadas com as atitudes dos adultos não com umas maminhas … usamos hoje bikinis bem mais provocadores do que qualquer topless … resumindo mais uma hipocrisia feminina (quase aposto que os homens não fizeram corte e costura – no máximo verificaram se eram maminhas mais ou menos bonitas ). Beijinhos Mónica

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Resolva esta operação (para sabermos que é humano) *